segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Rio Card




Sai hoje nos jornais: a Fetranspor diz que, assim que vender um milhão de cards, oferecerá um desconto, porque em São Paulo os transportes são subsidiados.

É muita cara de pau! Quer dizer, primeiro eles, depois eles, sempre eles... E o que é que eles querem mais? Só eles podem explorar esse meio de locomoção. Nós pagamos IPVA, IPTU. multas, gasolina, enquanto eles se utilizam do diesel que é muito mais barato. Recebem a vista e nos oferecem um serviço muito do safado.

Outro dia peguei o ônibus 47 de Niterói e a viatura estava apinhada de baratas, pode? Vi uma barata entrando pelo cabelo de uma passageira e não agüentei - avisei a ela, que ficou apavorada. Falei também com o motorista.

No trânsito nem pensar, ficamos a mercê de motoristas que têm que cumprir uma tabela louca, impossível de ser cumprida, o que os deixa cada vez mais neuróticos. E a Fetranspor quer receber como sempre a vista, sem desconto. Será que esse pessoal sabe que pagar quarenta reais a vista é muita coisa para quem ganha salário mínimo? Para quem precisa o que existe é hoje. O dinheiro é para hoje, amanhã Deus ajuda. Por isso o desconto é fundamental.

Será que eles sabem o que é morar no Jardim Catarina, lá em São Gonçalo, e ter que vir de ônibus em pé até Niterói para pegar outro ônibus e gastar mais dinheiro? Por que as vans não podem receber o tão maravilhoso RioCard? Só porque eles acertaram com o governo?

Senhor Governador, por favor honre os votos que recebeu. Quem pode pagar a vista nem compra esse tal cartão. Vai de carro e engarrafa cada vez mais o trânsito na cidade.

Um comentário:

Mauro Castro disse...

Ainda prefiro o táxi.
Há braços!!